9 de janeiro de 2012

2011 foi um ano de muitas atividades na CEU


Assim como o ano que acabou de passar, o ano de 2012 vai ser um ano de muitas atividades na Fundação Casa do Estudante Universitário do Paraná (CEU), com viagens, atividades acadêmicas e culturais. Em 2011, as atividades começaram cedo para os moradores da CEU.


Em janeiro, mais precisamente de 14 a 23, moradores da CEU, com apoio da União Paranaense dos Estudantes (UPE), seguiram em caravana para o 13° Conselho de Entidades de Base (CONEB) e a 7° Bienal da União Nacional dos Estudantes (UNE), eventos que ocorreram no campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).


Em fevereiro, no dia 27, o bloco carnavalesco Makakos Pelados, formado por moradores e amigos das residências estudantis de Curitiba, saiu em seu primeiro cortejo carnavalesco do prédio-sede da CEU até a Praça Garibaldi, durante o Pré-Carnaval no Largo da Ordem.


De 25 a 29 de março, em comemoração ao aniversário de Curitiba, a CEU foi palco de mesas-redondas, oficinas, espetáculos teatrais, festas, shows e manifestações culturais, na terceira edição do Ato Poético - evento por onde passaram mais de 100 artistas, ativistas e intelectuais em 5 dias de atividades.


No dia 1 de abril, tradicionalmente conhecido como o "dia da mentira", cerca de 200 moradores da CEU e estudantes da UFPR, UTFPR, UNESPAR, PUC e do Colégio Estadual do Paraná (CEP), fecharam a rua Luiz Leão, logo em frente a casa, num protesto que duraria quase duas horas, pelos 1000 dias da interminável obra de reforma e ampliação do prédio-sede da CEU.


No dia 10 de abril, ocorreu a 7° edição da Verdurada CWB na fundação - tradicional local do evento. Organizado com a mobilização de vários coletivos de vegetarianos e de defesa dos direitos dos animais da cidade, o evento contou com palestras, oficinas de culinária vegetariana e muitos shows. A 8° edição ocorreria no dia 17 de julho, também na casa. No dia 28 de maio, dançarinos de toda a região participaram da etapa regional do Red Bull BC One Cypher, que ocorreu no Salão Nobre da casa.


No mês de aniversário de 63 anos da fundação, a casa promoveu o I Feira de Cultura Popular da CEU. Com apoio da Secretaria de Cultura do Município da Lapa e da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da UFPR (PRAE), vários artesões e representantes da cultura popular do estado estiveram presentes na casa de 11 a 14 de agosto.


Em agosto, dois grandes eventos de importância política para a CEU ocorreram quase que simultaneamente, impedindo que a CEU pudesse participar de ambos. De 7 a 13 de agosto, em Feira de Santana, na Bahia, ocorreu o XXXV Encontro Nacional de Casas de Estudantes (ENCE). Organizado pela Secretaria Nacional de Casas de Estudantes (SENCE), o evento reuniu moradores e moradoras de casas, alojamentos, repúblicas e ocupações estudantis de todo país. Contudo, os representantes da CEU optaram por participar do XVI Congresso Latino-Americano e Caribenho de Estudantes (CLAE), que ocorreu dos dias 10 a 15 do mesmo mês, em Montevidéu, Uruguai.



No dia 9 de setembro, a CEU recebeu uma das atividades da semana que comemora, todos anos, em várias partes do mundo, o mês da bicicleta. A atração, que ocorreu no átrio central da CEU, ficou por conta da performance musical do projeto Música para Sair da Bolha.


De 13 a 15 de outubro, as casas de estudantes de Curitiba promoveram o VI Encontro Regional de Casas de Estudantes (ERECE). Com o tema "As casas e a comunidade: Um diálogo necessário", o evento reuniu representantes das casas, alojamentos, repúblicas e ocupações estudantis da região sul do Brasil. Na sexta-feira, dia 14, houve uma manifestação no pátio da Reitoria da UFPR em favor da construção de novas casas de estudantes e reforma e ampliação das existentes.


Para fechar com chave de ouro as atividades de 2011 na CEU, a casa comemorou o dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, com uma grande exposição fotográfica e uma bela feijoada servida no salão Hermínia Lupion.


Além destas atividades, dezenas de palestras e cursos abertos a comunidade, cinedebates, almoços e mobilizações políticas fizeram parte do cronograma de 2011 da fundação. De forma voluntária, com pouco ou sem nenhum recurso público ou privado, com muita dedicação, moradores, conselheiros e amigos da casa trabalharam de forma a demonstrar a importância das casas de estudantes na formação acadêmica, política e cultural dos estudantes.

Atualizado 10/01 - Departamento de Comunicação da CEU (DECO)

Nenhum comentário:

Postar um comentário