9 de março de 2010

UPE lança nota a governo do estado por moradia estudantil em Maringá


Exmo. Senhor Governador Roberto Requião,
A União Paranaense dos Estudantes em conjunto com Diretório Central dos Estudantes da Universidade Estadual de Maringá realizou no último dia 4 de março uma manifestação dirigida ao Senhor, governador do estado, para apresentar-lhe a pauta de reivindicações dos estudantes daquela universidade, que exigem mais verbas para a construção da Casa do Estudante Universitário e para ampliação e Reforma do Restaurante Universitário, que combatem dia a dia para se manter na universidade.
Na ocasião o Governador afirmou, na presença da imprensa e do Coordenador Geral do DCE da UEM que moradia era para os pobres e seguiu dizendo que os estudantes deveriam trabalhar.
Senhor Governador, cabe a vossa excelência entender que a assistência estudantil é um direito constitucional conquistado pelos estudantes durante muitas mobilizações, com muito suor e sangue, para garantir que a universidade cumpra o seu papel social de produção do conhecimento, e para que não seja privilégio daqueles que conseguem se manter. Há de saber, Senhor Governador, que a UEM recebe estudantes de diversas partes do estado do Paraná e do Brasil, motivo de orgulho dentro da comunidade acadêmica, e que para garantir que continuem seus estudos, que contribuem para o desenvolvimento de uma sociedade soberana, os estudantes necessitam ter as condições mínimas: moradia, alimentação, saúde e lazer. Para isso reivindicamos que em todo o estado seja aplicado um Plano Estadual de Assistência Estudantil, com rubrica específica de 100 milhões de reais, o que garantiria a assistência estudantil como política de estado e não de governo.
No entanto, Senhor Governador, não estamos dispostos a aceitar as suas últimas declarações como definitivas. Entendemos que os estudantes necessitam da aplicação do direito à moradia e alimentação, mas não necessitam de casas com 300 m² para cada estudante, mas de prédios, blocos e apartamentos que comportem 500 estudantes, com as condições dignas. Não necessitamos, como o Senhor veio a público dizer, de um restaurante francês, mas sim de um restaurante sem filas que tenha espaço para se sentar e ventilação, necessitamos também de comida de qualidade, para isso é preciso reformar o Restaurante Universitário da UEM e contratar mais funcionários. Essa é a única saída plausível para os problemas enfrentados pelos estudantes da UEM.
Por último, Senhor Governador Roberto Requião, é preciso dizer que os estudantes aguardam uma resposta digna de um Governador eleito pela população para garantir ensino público gratuito e de qualidade para todos e repudiamos as últimas declarações por demonstrar desrespeito com a pauta de reivindicações, mui respeitosamente, entregue.
Aguardamos do seu governo uma resposta.
Atenciosamente,
União Paranaense dos Estudantes
Curitiba, 09 de março de 2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário